Zacky Vengeance fala sobre Waking The Fallen: Resurrected

(Foto: Divulgação)
Zacky Vengeance (Foto: Divulgação/Marissa Kramer)

Zacky Vengeance foi entrevistado pela Billboard americana sobre o relançamento de Waking The Fallen. Confira abaixo a tradução na íntegra da matéria publicada.

Zacky Vengeance do Avenged Sevenfold promete, com uma risada, que não foi um erro de matemática que levou ao lançamento de Waking the Fallen: Resurrected, uma reedição de luxo do segundo álbum do grupo lançado no meio de 2003, saindo 11 anos depois, ao invés de ser lançado no tempo certo para o seu 10 º aniversário.

 

“Para ser honesto, foi uma daquelas situações em que era mais importante que tivéssemos um item com qualidade para dar aos nossos fãs”, disse o guitarrista à Billboard sobre o conjunto duplo  (CD/DVD), que sai dia 26 de agosto. “Nós estávamos rastreando arquivos e é uma tarefa difícil, porque nós estivemos em turnê sem parar. Mas Matt e eu cavamos profundamente em tudo o que temos, ficando ao telefone com os membros da minha família, vasculhando o sótão da casa dos meus pais e olhando para tudo isso, nós realmente tornamos isso especial. Isso apenas levou um pouco de tempo. Fomos correndo para lançá-lo no dia do aniversário, mas a qualidade foi o mais importante. ”

 

Waking the Fallen: Resurrected completa o álbum de 12 faixas originais com a faixa inédita título e uma versão alternativa de “Second Heartbeat“, bem como quatro demos e sete faixas ao vivo. O DVD inclui um documentário filmado ao vivo e duas versões do vídeo da música hit do álbum, “Unholy Confessions”.

 

“Waking the Fallen engloba verdadeiramente tudo o que o Avenged Sevenfold era naquele tempo”, observa Zacky Vengeance. “Ele nos mostra destemidos, exibindo as nossas raízes no heavy metal, punk, rock’n’roll e sem medo de experimentar tudo quando se trata de escrever música. Tivemos um produtor real (Andrew Murdock). Nós queríamos levar aquilo para um nível diferente ao invés de mantê-lo na garagem. Nós realmente tentamos fazer o álbum soar bem. Nós tentamos aprender a tocar nossos instrumentos melhor, queríamos ser profissionais. Aprendemos que as bandas aprendem a tocar com o tempo e como cantar em chave, e nós tivemos que ralar para c*ralho”.

 

Foi também o primeiro lançamento do A7X com o guitarrista Synyster Gates e Zacky Vengeance lembrou do bloqueio de Murdock sobre seu papel no grupo. “Eu e ele quase nos odíavamos f*didamente, porque eu sou cabeça-dura e ele foi cabeça-dura”, lembra Vengeance. “Acho que ele ainda tentou fazer com que eu fosse expulso da banda naquele momento – a banda que eu tinha começado poderia ser atrapalhada por causa de um maldito de um produtor.”

 

Zacky Vengeance ainda disse que ele e seus companheiros de banda sentiram que o Waking the Fallen: Ressurrected retrata o A7X como uma pequena banda que poderia, e, eventualmente, se tornou uma grande banda, platinada, cujos dois últimos álbuns estrearam como número 1 na Billboard 200. “Mesmo quando estávamos naquele ponto em que tínhamos poucos fãs, nunca nos sentimos como uma banda pequena. Nós sempre sentimos como se tivéssemos um grande propósito”, diz ele. “Quando escrevemos Waking The Fallen, foi importante. Ouvindo-o novamente agora, ele realmente não é o álbum mais bem produzido, mas, na época, estávamos envolvidos em cada aspecto dele e nós estávamos muito orgulhosos dele.”

 

A7X está atualmente na estrada com o Rockstar Energy Mayhem Festival até o dia 10 de agosto e tem uma jogada. “Nós não tocamos em um festival americano, um verdadeiro festival de verão, desde o Ozzfest“, diz Zacky Vengeance. “É muito bom ver todas as bandas de fora. É como um circo itinerante, saindo à luz do sol. Há algo acontecendo durante todo o dia, todos os dias. Em qualquer ponto do dia, você está cercado por amigos, outras bandas. Você pode ir e assistir outras bandas. Toda vez que você tem este número de pessoas presas em ônibus e vendedores viajando por aí, você vai ouvir algumas histórias engraçadas. Nunca é um momento de tédio.  O A7X está planejando “uma viagem rápida para o Japão” depois do Mayhem e, em seguida, planeja sair da estrada, a fim de começar a trabalhar em uma sequência para “Hail To The King” lançado em 2013.

 

“Eu acho que uma vez que chegar em casa, as idéias vão começar a fermentar”, prevê Vengeance. “Eu sei que Syn está escrevendo uma tonelada de materiais puramente por diversão, experimentando diferentes estilos, gravando nos bastidores, mantendo-se ocupado. Eu estive pensando em todos os tipos de idéias, ouvindo toneladas de música diferentes para obter inspiração – assim como todos nós. E estar em turnê, me deixa inspirado. Ver bandas como Body Count com Ice-T lá fora, eles são tão old-school e baseados em riffs, que soam um pouco como uma ofensiva e o quão f*da eles são. Portanto, há toneladas de inspiração e eu sei que nós vamos estar estar aproveitando tudo isso “.

Concurso Cultural: Leve na faixa o Waking The Fallen: Resurrected

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA