Metalcore. Coisa do passado?

Foto: Fariz Adnan
Foto: Fariz Adnan

Na passagem do Avenged Sevenfold pelo Sudeste da Ásia, M. Shadows cedeu entrevista ao The Jakarta Post, em Jacarta, capital da Indonésia. Nela, ele fala sobre o que vem por aí em matéria de influência do novo trabalho da banda.

O portal faz referência ao primeiro álbum, “Sounding the Seventh Trumpet”, com forte influência metalcore. Cita, ainda, a opinião de críticos que consideraram “Hail to the King” o trabalho mais experimental feito por eles até hoje. Confira um trecho da conversa, em entrevista feita por e-mail a M. Shadows:

The Jakarta Post: “Como vocês veem os fãs do Sudeste da Ásia?”

Avenged Sevenfold: “Nossos fãs no Sudeste asiático nos surpreendeu quando nos apresentamos aqui, muitos anos atrás. Desde então, tem sido muito importante para nós voltar sempre que possível. O Sudeste da Ásia é muito importante para a família A7X.”

TJP: “Você poderia nos contar como foi o processo de gravação deste álbum?”

A7X: “Os objetivos estavam bem definidos para esse trabalho. Queríamos mais blues e mais do metal dos anos 1990, do que o que vínhamos fazendo até então. O processo foi escrever uma tonelada e ter a certeza de que tudo se ajustaria aos critérios definidos.”

TJP: “Qual é o destaque do álbum?”

A7X: “A simplicidade é o que se destaca nesse trabalho. Precisávamos provar que poderíamos escrever canções grandes e simples e nós cumprimos isso!”

TJP: “Sua música evoluiu ao longo dos anos. Onde foi parar o metalcore? Poderíamos esperar um retorno?”

A7X: “O metalcore foi deixado para trás. Já não tem mais graça para nenhum de nós ouvir isso, logo, obviamente, não vemos qualquer sentido em escrever músicas nesse estilo. Eu não penso em um retorno. Nós estamos sempre evoluindo e não vamos retornar ao passado.”

TJP: “Como quer ver o A7X em evolução?”

A7X: “Eu quero estar longe de tendências e modinhas e fazer o tipo de música que queremos fazer. Escrevemos porque temos que escrever — é o que faz sentido para todos nós. Enquanto crescemos, apenas nos vejo seguindo nossos corações nessa jornada musical.”

TJP: “O reaparecimento de bandas top do metal como Black Sabbath, Iron Maiden e Metallica afeta de alguma forma o Avenged Sevenfold?“

A7x: “Tem sido ótimo para nós, pois assim temos grandes bandas com quem tocar junto. As pessoas acham que isso vira competição entre bandas, quando na realidade quanto mais bandas boas tiverem, melhor. Ter boas bandas liderando realmente contribui.”

TJP: “Vocês estão em Jacarta para promoverem o game “Hail to the King: Deathbat” também? O que podem falar sobre o jogo?”

A7X: “Estamos aqui unicamente pelos nosso fãs. Fazer música para eles. O jogo é uma diversão que fizemos aos fãs. Se você curte games de ação e aventura, então sugiro que pegue um – é muito divertido.”

TJP: “De 0 a 5, o game tem sido classificado como 4,5 pelos jogadores. Alguma dica de jogadores que vocês possam usar na melhora do jogo?”

A7X: “Sempre tem opiniões por todo lugar. Na maioria das vezes, as opiniões vêm de quem não entende sobre o que é fazer um game. Você tem reclamações porque pessoas acostumadas com dispositivos  de alta qualidade querem melhores gráficos e então você tem reclamações sobre gráficos que tomam muito espaço em celulares de qualidade mais inferior. Você nunca vai estar bom— você tem de fazer o seu melhor.”

TJP: “E sobre series de animação? Há mais novidades sobre isso?”

A7X: “Não! Fizemos por diversão. Sempre testando coisas e evoluindo.”

DEIXE UMA RESPOSTA