Cobertura do show – Curitiba 06/04

Ainda eram 9 da manha e já havia vários fãs na fila do Curitiba Master Hall, sendo que alguns ja vinham acampadando desde a noite de Segunda feira (04/04).

O sol ardente não tirou a coragem de milhares de fãs anciosos para ver Avenged Sevenfold. A maioria das pessoas estavam com camisetas características da banda, além de escutarem as músicas em seus celulares e compartilharem com os outros fãs a emoção do que estava por vir.

A fila já estava ultrapassando alguns quarteirões e finalmente os portões foram abertos, a emoção de entrar no lugar onde a banda tocaria fez com que os fãs ficassem em êxtase.

Antes do início do show, a agitação era muito grande… os fãs empurravam muito, gritavam pela banda  e cantavam em coro as músicas que tocavam no local.

Quando começou a intro de Nightmare, a emoção tomou conta dos fãs, o êxtase e era tão forte e enlouquecedor que às vezes ouvir a música era difícil, então a solução era cantá-la! Todos pulavam, gritavam e cantavam.

A setlist foi a mesma de shows anteriores, mas houve até uma tentativa do Syn Gates de falar em português e tocar um pedacinho de uma música, mas segundo M. Shadows, a música era ”muito espanhola”.

Percebendo a grande quantidade de faixas e cartazes dedicadas à banda, Shadows elogiou e agradeceu o carinho, e em homenagem à The Reverend, os fãs começaram em um coro que exclamava ”Sullivan, Sullivan”!

Entre tantos fatos emocionantes, Shadows apresenta Arin para o público, e a banda começa a tocar “So far Away”. Por ser uma música em homenagem à The Reverend, nesse momento, o show se torna mais emocionante… algumas pessoas choram e alguns fãs  enxem bexigas brancas para simbolizar seu amor pelo baterista (homenagem que devia ter acontecido no SWU, porém não houve sequer tempo da banda tocar a música).  Shadows percebe a emoção do público e agradece em nome da banda ao final da música.

Shadows observa então a faixa de um fã  com o desenho do Rev, muito emocionado, exibe para todo o publico, que novamente grita em coro  “Sullivan, Sullivan!”.

Antes de começar a tocar “God Hate Us” , Shadows fala que muitas pessoas estão passando mal e  indo pra enfermaria e pergunta se alguem está morrendo, então alguns fãs respondem que sim e Shadows olha pra banda e dá risada, e reafirma “eles estão morrendo”.  Syn Gates “esquece” de como tocar o comecinho da música e novamente Shadows ri.

Classicamente, durante “Unholy Confessions”,  Shadows pede para os fãs fazerem rodas de mosh.

Assim que a banda sai do palco, como nos outros estados, os fãs gritam loucamente e pedem para tocar “A Little Piece of Heaven” , mas infelizmente a banda não atendeu à esse pedido.
Ao fim do show, Shadows afirma que “vão voltar de novo, de novo e de novo

Agradecimento especial à Patricia Saramela (Sickness Purity), que gentilmente se dispôs à dar detalhes do show para que se desenvolvesse a resenha.

  • Jéhh

    Foi perfeito, ainda estou tentando acreditar que eu estava la, em, Afterlife, So far Away e Fiction foram os momentos mais emocionantes. O Arin foi um fofo, depois do show ele foi la na grade tirar foto com o pessoal (do meio) e o segurança não deixou ele ir onde eu e a minha amiga estavamos (segurança f**** d* p***). Depois eu e a minha amiga fomos uns dos poucos fans que foram para a porta do hotel ver a banda chegar, mas o único que desceu (até a hora que nós pudemos ficar) foi o Shadows, ele foi super simpatico com todos que estavam lá. ele tirou foto e deu autografo para todos. Nunca vou esquecer esse dia

  • Pow curtir a resenha, demorou mais saiu

  • @ShazanA7X .

    NOSSAAAAAAAA BANDEIRA DO BRASIL ALIIII PORRAAAAAAAAAAAA! NÃO ACREDITOOO QUE O MATT PEGOOOOO SHOW MAIS AGITADO DA TUR.SEM MAIS

  • Dam

    Foi muito foda! =D
    UHAUAUHAUHUA da pra ver o meu carro na foto da fila! (E dái?)

  • That saves me. Thanks for being so sesnbile!

  • YdDcgc expakcrzlrua

  • Jobert

    esse desenho do rev eu sei quem fez ele desenha demas (Gustavo-Preto) o fece dele ai https://www.facebook.com/profile.php?id=100001998682146